RISC, Práticas em negócios

A importância do fluxo de caixa (e de outros indicadores financeiros) em épocas de crise

2015-09-03 09:00:58

Existe um lema onde diz que uma crise política acaba causando uma crise econômica em um país e vice-versa. Diante do agravamento da crise política e econômica no Brasil, muitas empresas estão enfrentando redução drástica dos níveis de vendas e, consequentemente, na produção, o que tem levado à deterioração rápida do seu fluxo de caixa.

Além disso, a aceleração da taxa cambial vem também afetando de forma significativa os resultados e os fluxos de caixa das empresas. Muitas têm seus preços com os clientes estabelecidos em Real e os preços das matérias-primas atrelados à taxa cambial, mesmo aquelas adquiridas no mercado local, em função da significativa participação de componentes importados. Nunca é demais lembrar que uma operação de “hedging” se torna necessária para mitigar essa situação particular. Essas empresas são as que mais estão sofrendo dentro da atual situação econômica, vendo os seus resultados e os fluxos de caixa minguarem a cada dia que passa.

Como medida imediata para mitigar os prejuízos e a situação de caixa, a maioria das empresas está cortando os gastos e reduzindo a mão-de-obra direta e indireta de forma desesperada, muitas vezes sem nenhum critério, contribuindo com o aumento do nível do desemprego e agravando ainda mais a crise econômica do país. A diminuição do nível de emprego leva à redução do poder aquisitivo da população, que por sua vez reduz a demanda agregada, que por sua vez reduz ainda mais o nível da produção, provocando um aumento ainda maior no nível de desemprego. Isso vai contra a teoria Keynesiana, do renomado economista britânico John Maynard Keynes, que após a quebra da bolsa de Nova York em 1929, tirou os Estados Unidos da Grande Depressão fazendo exatamente o contrário na década de 1930. Na minha opinião, uma simples redução dos custos e contenção de despesas sem critério nenhum, não são suficientes para enfrentar uma situação de crise. As empresas precisam ter um fluxo de caixa anual, trimestral, mensal, semanal e até mesmo diário em épocas de crise, porém com um alto grau de acurácia. Fluxo de caixa sem isso não leva a lugar algum.

Para isso, é importante as empresas terem um sistema de informação capaz de fornecer todos os dados necessários para a elaboração de um fluxo de caixa, de forma automática, possibilitando constantemente a sua atualização. É o fluxo de caixa com acurácia que vai nortear as ações a serem tomadas de forma eficaz, para trazer novamente o seu equilíbrio.

Além do fluxo de caixa, é importante as empresas terem relatórios e indicadores financeiros que mostrem onde cada empresário tem que concentrar os seus esforços. É também primordial ter instrumentos que indiquem quais as atividades que não agregam valor algum ao produto, dentro do conceito do “ABM for Continuous Improvement”, para que sejam eliminadas de imediato.

O time da RISC está preparado para diagnosticar e implantar as ferramentas acima mencionadas. Fale conosco.

Tadashi Yamashita
Consultor



Voltar