RISC, Práticas em negócios

Lava Jato e o Big Data

2016-07-18 12:36:44


Extra!!! Extra!!! Mais uma fase da Operação Lava Jato é deflagrada contra suspeitos de atuarem em desacordo com as leis e lesaram o patrimônio público!

Mas nos perguntamos: como a Polícia Federal e o Ministério Público Federal conseguem chegar a determinadas conclusões, apontar os suspeitos de conduta idônea e indiciá-los para que se façam as devidas investigações e se apure a verdade, com as consequências que todos esperamos ter para os que escolhem se desvirtuarem da conduta correta da lei?

O trato do Big Data, sem dúvida, tem sido um aliado determinante para tais descobertas e constatações. Com grande competência e inteligência, os órgãos públicos, que atuam nas investigações desses inúmeros casos que acompanhamos pelos noticiários do país, só conseguem chegar a indicar e desvendar os complexos cenários, ardilosamente construídos pelos que resolvem agir fora da lei, através de uma gigantesca operação de inteligência amparada pela análise de enorme quantidade de informações, que são cruzadas e dispostas de maneira inteligível, para que possa ter um panorama claro e consistente de como os delitos aconteceram e quem está envolvido neles.

Mas o que afinal é o Big Data?

Quando nos deparamos com um cenário onde há uma quantidade imensa e muito complexa de dados, então temos o Big Data estabelecido. A análise e modelagem dessas informações, bem como o possível relacionamento entre elas, pode constituir uma fonte preciosa de tomada de decisão, mas, que sem o ambiente adequado para o tratamento desses dados, não se consegue chegar a conclusão nenhuma pelo tempo necessário para confirmação de tendências ou associações que tais dados possam vir a indicar. A constatação do Big Data proporcionou a oportunidade de estruturar processos de agrupamento e análise dos dados e, para que algum resultado aproveitável fosse extraído desse complexo ambiente, levou-se em consideração aspectos relativos ao volume de dados, velocidade do processamento, forma ou variedade dos dados, periodicidade ou variabilidade dos dados, complexidade e outros fatores que ajudassem a criar uma oportunidade de agrupamento ou categorização dos mesmos.

Todo o aparato tecnológico que possibilita aos técnicos o tratamento, compartilhamento, pesquisa e visualização dos possíveis agrupamentos e situações que esses dados possam contribuir para formar, constitui o ambiente computacional para poder-se chegar a conclusões plausíveis e possíveis.

Ainda bem que temos uma Polícia e Órgãos Públicos competentes e inteligentes e que podem lançar mão dessas ferramentas poderosas de análise e refinamento das informações, para esclarecerem os fatos que, ao serem noticiados, nos deixam perplexos, mas confiantes de há esperança e pessoas capacitadas e obstinadas a tornar o nosso país um lugar melhor para se viver.

A RISC pode ajudá-lo na escolha de parceiros adequados a permitir que sua empresa conheça melhor a utilização de ambientes computacionais, capazes de avaliar grandes quantidades de dados e aproveitar os resultados das análises para ajudá-lo com o planejamento adequado da sua empresa. Fale conosco!

Lucio Nubile
Consultor RISC



Voltar