RISC, Práticas em negócios

S&OP: planejamento integrado é o “elo” de ligação da estratégia à operação.

2017-09-26 18:27:08

O processo chamado S&OP é conhecido no Brasil como Planejamento Integrado de Vendas e Operações, que é um processo integrado de gerenciamento de negócio, liderado pela Alta Administração, que avalia e revisa as projeções de 3 a5 anos, de forma estratégica e tática, as principais alterações de previsão de demanda, suprimentos (compras, manufatura e logística), produtos novos e correntes (portfólio), com dados financeiros suportando todos os cenários. Esse processo é tipicamente realizado com um horizonte de planejamento dinâmico de 3 a 36 meses, porém executado e revisado numa base mensal, considerando fóruns para cada um dos tópicos acima mencionados. A análise operacional do programa de produção e projeção de demanda no horizonte de 1 a 3 meses não entra no escopo dos fóruns do planejamento integrado vendas e operações. Somente como indicadores de performance e dados históricos de produção e demanda. A cada mês, o ciclo do planejamento integrado roda, analisando desde a gestão do portfólio da empresa, a introdução de novos produtos, os que são descontinuados (ciclo dos produtos) e os produtos que não estão tendo saída, passando pela previsão de novas demandas e desafios que o mercado pode oferecer, até a avaliação das restrições de capacidade de produção, armazenamento, transportes e dos fornecedores para atender os volumes demandados, bem como a análise dos impactos financeiros resultantes, em face ao novo balanço entre o plano de demanda e suprimento. Tudo isso, com o objetivo de se obter um Plano de Negócios revisado e acordado, o qual é único e comum a todas as áreas, onde os executivos são responsáveis por garantir a adequada alocação dos recursos críticos, direcionando o foco no que se é necessário para se atender aos projetos e iniciativas mais importantes. O S&OP ajuda a fazer a integração entre a análise estratégica da empresa e a tática, sendo uma ferramenta muito útil para garantir a eficiência operacional da empresa Fóruns do Planejamento Integrado Vendas e Operações, a seguir:         1º passo: Gestão de Produto Nesse momento, a empresa realiza a primeira reunião formal no ciclo mensal do processo de Planejamento Integrado Vendas e Operações, a Gestão de Portfólio, realizando a revisão: do seu portfólio de produtos, que inclui a introdução de novos produtos; as melhorias, o reposicionamento e a descontinuação dos produtos existentes; dos produtos que não estão tendo a saída projetada; e de outras novas atividades que possam afetar a demanda, suprimento ou os resultados financeiros. Como resultado, a empresa obtém um plano atualizado e acordado para o lançamento de novos produtos & iniciativas de suporte, os recursos necessários para a sua implementação, a lista dos assuntos críticos relacionados, as premissas consideradas, os riscos envolvidos e os fatores que os influenciam, as recomendações e as decisões tomadas pela equipe, no fórum em questão, e as que requerem ser escaladas para serem decididas pela Alta Administração. 2º passo: Gestão de Demanda Nessa etapa, de posse dos resultados obtidos na Gestão de Portfólio, do histórico das vendas e modelos estatísticos, das informações gerenciais: da visão do cliente passada por Vendas & Trade Marketing; da visão do consumidor passada por Marketing; e da visão de negócio passada pela Alta Administração, a área responsável pela previsão de demanda elabora a proposta para a previsão de demanda futura, sem restrições. De posse da previsão de demanda proposta, das premissas consideradas em sua elaboração, e das lacunas identificadas para se entregar os resultados do Plano de Negócios - “budget” e o Plano Estratégico, a empresa realiza a segunda reunião formal no ciclo do processo de S&OP, a Gestão de Demanda, onde as áreas-chave trabalhando de forma colaborativa chegam a um consenso e formalizam o plano de demanda, ou seja, o que a empresa deseja vender e entregar em cada período, o qual é publicado e comunicado para a empresa. 3º passo: Gestão de Operações Nessa etapa, com base no plano irrestrito de demanda, é necessário estimar se a empresa terá os recursos requeridos para atender a demanda projetada, por exemplo:

  1. A compra de insumos, matérias-primas, componentes, materiais de embalagem etc.;
  2. A análise da disponibilidade de equipamentos, linhas de produção, mão de obra e espaço, para se produzir, armazenar, movimentar, transportar e disponibilizar os produtos.
É o momento então de verificar se será preciso: comprar ou importar alguma matéria-prima ou embalagens fora dos prazos normais de entrega; realizar horas-extras ou a contratar mão de obra adicional para o estabelecimento de um novo turno de trabalho; buscar capacidade incremental internamente ou através de terceirização etc. Além disso, os níveis de inventário são projetados de acordo com as políticas de estoque da empresa. Nessa etapa, podem aparecer restrições, tais como: capacidade limitada de fornecedores; indisponibilidade de recursos: materiais, financeiros, humanos; etc. Sendo assim, a empresa deve sempre elaborar vários cenários com planos alternativos de suprimento para o atendimento do seu plano de demanda. Porém, sempre explorando os impactos financeiros e operacionais e os riscos associados, provendo a iniciativa recomendada, com base nos objetivos da empresa e facilitando o seu processo de tomada de decisões. 4º passo: Reunião de Consenso A reunião de Consenso é realizada com a presença da gerência sênior da empresa e tem como objetivo resolver o desbalanceamento entre os planos de demanda e suprimento e entre os riscos e oportunidades resultantes das etapas anteriores. Essa etapa envolve o planejamento de cenários financeiros quando necessário, os quais devem sempre ser comparados com os objetivos estratégicos da empresa e as metas globais do negócio. Resumindo, podemos afirmar que os resultados obtidos nos três passos anteriores permitem a grupo sênior:
  1. A revisão completa das tendências de desempenho do negócio, garantindo que nada tenha sido deixado de fora do ciclo;
  2. A revisão dos assuntos críticos/problemas escalados para decisão no ciclo, onde se decida, dentro de um consenso, sobre os assuntos que estão ao alcance do grupo, e se facilite a preparação dos assuntos que serão escalados para a decisão da Alta Administração;
  3. O desenvolvimento da agenda para que a Revisão Executiva tome as ações necessárias e/ou forneça o direcionamento para os assuntos críticos/problemas do ciclo.
5º passo – Revisão Executiva A última etapa do Planejamento Integrado Vendas e Operações ocorre na reunião de Revisão Executiva, com a participação da Alta Administração e com alguns membros-chave do processo de S&OP. Em resumo, a Revisão Executiva é o fórum para a tomada de decisões táticas da empresa, garantindo o alinhamento com o Plano Estratégico e as Plano de Negócios, onde a Alta Administração:
  • Revisa completamente as tendências do desempenho do negócio versus o Plano de Negócios e identifica as prioridades futuras:
  1. Fornece o direcionamento e toma as decisões sobre assuntos críticos /problemas escalados no ciclo;
  2. Fornece as linhas gerais e o direcionamento para o próximo ciclo do processo, garantindo o alinhamento e foco;
  3. Monitora o desempenho das principais ações e iniciativas, acordadas nas reuniões anteriores.
Ao final do ciclo mensal do Planejamento Integrado Vendas e Operações, um novo plano é aprovado e comunicado formalmente para toda a empresa, para que as áreas se preparem para atuar diante das novas prioridades.
  • Resultados financeiros de uma implantação bem sucedida por trazer benefícios significativos:
Você já aplica o modelo de S&OP na sua empresa? Gostaria de conhecer melhor esse processo? Então fale conosco!   Eneida P. Lima Deverhum - em parceria com a RISC Negócios



Voltar